Change to English or other language

Thursday, October 04, 2007

Os 50 Anos do Satélite SPUTNIK

"O Sputnik protagonizou um acontecimento sem precedentes na história da humanidade e, no nosso caso, deu um forte impulso ao programa espacial dos Estados Unidos, pois sem ele não haveria a Apolo" - Michael Griffin, administrador da NASA.

O seu objetcivo era determinar a densidade das camadas mais altas da atmosfera. Os dados transmitidos através de sinais de rádio (BIP-BIP-BIP), podiam ser ouvidos por radio-amadores em todo o Mundo.
Manteve-se activo por 21 dias, tendo caído na Terra a 4 de janeiro de 1958.

O lançamento do Sputnik, uma esfera de alumínio polido de 83 quilos que sobrevoava a Terra a uma altura de mil quilómetros e emitia sinais, mudou o Mundo, e contribuiu para grandes desenvolvimentos e descobertas, bem como, para dar asas ao que hoje se denomina de Aldeia Global.

Um mês depois do lançamento do Sputnik, a cadela Laika tornava-se no primeiro ser-vivo enviado ao espaço (3 de Novembro de 1957), no Sputnik 2.
O peso deste satélite era de 500 quilos, muito mais do que os americanos poderiam colocar em órbita naquela altura.
Um cone com uma base de 2 metros por4 metros de altura dividia-se em diversos compartimentos que continham: transmissores de rádio, um sistema de telemetria, um sistema de regeneração e controle da temperatura da cabine, além de instrumentos científicos, como espectrofotômetros para medição da radiação solar (emissões ultravioleta e raios-X) e raios cósmicos.

Noutro compartimento, pressurizado, viajava a Laika vigiada por uma câmara de televisão. A "cabine de passageiros" possuía espaço suficiente para que a Laika ficasse de pé ou deitada. Um sistema de regeneração de ar fornecia oxigénio, e a comida e a água eram fornecidos em forma gelatinosa. A Laika estava amarrada a arreios e tinha uma bolsa de recolha de dejectos. Havia diversos electrôdos presos ao seu corpo para recolher todos os sinais vitais.

A Laika era uma cadela abandonada que vagueava pelas ruas de Moscovo, e foi escolhida entre dez cães por ser calma e sociável.
De acordo com Dimitri Malashenkov, no Congresso Espacial Mundial, em Houston (Outubro de 2002), a Laika morreu devido a um choque provocado no espaço, e por um ataque de pânico, após a descolagem. O coração de Laika parou poucas horas depois do lançamento.

O Sputnik 2 não estava equipado para atravessar novamente a atmosfera, pelo que, já estava planeado sacrificar a Laika após os dez dias de vôo.
O satélite ainda permaneceu quase meio ano em órbita.
Em função das características da sua órbita, o satélite passava sempre à mesma hora nos mesmos lugares, sendo facilmente identificado no céu, a olho nu.

Quando o Sputnik 2 voltou à atmosfera terrestre foi um espectáculo inesquecível, presenciado por milhões de pessoas. Navegou como uma estrela cadente nos céus da Inglaterra, após o pôr-do-sol.
Nas primeiras horas da manhã do dia 14 de abril de 1958, caiu sobre o Caribe.
Muitas vezes mais brilhante que Vénus, deixou atrás de si uma grande quantidade de fragmentos brilhantes e um rastro luminoso... e finalmente extinguiu-se.

Dedico ao velhinho Sputnik (e aos que se seguiram) e à Laika, uma música dos também velhinhos Sigue Sigue Sputnik, que em 1985 lançavam este êxito do Punk Electrónico, com sons muuuito futuristas...

No comments:

Stress and the City, no YouTube

Loading...

Countries & Cities Where I've Been.