Change to English or other language

Saturday, October 20, 2007

A Máfia das Análises Médicas

Na correria da derradeira semana que me aproxima vertiginosamente de uma nova etapa da Vida (uuuffff), corro para o posto médico.
Agarro com cuidado o típico tubo de laboratório muito bem protegido para não deixar escapar o fluído branco-amarelado, usado como amostra nas análises médicas de rotina...

Pensei que seria uma das primeiras pessoas a chegar. Afinal, é Sábado e a Clínica Médica abre às 08:00, e... enfim, vá lá que tivesse uma ou duas pessoas à minha frente... Não! Longe disso...
O relógio marcava as 08:03 de um sábado de Outono, cuja manhã fresca fazia adivinhar um dia intensamente quente para a época. E fiquei também a ferver porque já havia SETE pessoas lá dentro! Inimaginável! Só podiam ter dormido ali!!!
Achei que poderiam ser "Figurantes", para dar credibilidade à Clínica... Ri-me por dentro, quando pensei nesta idiotice... Uma Técnica de Marketing curiosa...
Esfriei a cabeça ao rir da minha idiotice... o que é muito frequente, if you know what I mean. Aliás, nem sei como me estão a ler, ainda. Se calhar não estão!... Pois...
Bem, adiante.

Puxei por uma daquelas senhas amarelas que com um número nos indicam quando vai chegar a nossa vez.
Sentei-me, e ... esperei...
Eram-me todos indiferentes. Eu estava ainda ensonada e pensava apenas no momento indescritível que é, para mim, sentir a agulha penetrar na veia e sugar-me das entranhas um líquido espesso, vermelho muito escuro. Precioso líquido que me invade o corpo e me dá Vida...
No entanto, prefiro saber que ele está cá dentro, sem ter de olhar para ele...

No meio destes pensamentos meio idiotas - já vos disse que sou idiota, não disse? Depois não se queixem... - dei comigo a reparar no plasma - SIM, PLASMA! - do Centro Médico! Wow! Afinal, ainda dizem mal da Saúde! Eu estava ali, numa Clínica Médica pública, a olhar para um Plasma e, "plasme-se", estava sintonizado na SIC Notícias, imaginem!
Que maravilha! Não tinha de suportar aqueles desenhos animados dos Sábados de Manhã, quase tão idiotas como eu, ou os concurso de televisão que geralmente neste locais e nos cafés passam para entreter os "Enfants Terribles!"...

E falando em "Enfant Terribles"... Depois de gastar meia embalagem de Kleenex para recolher a baba que ia soltando ao contemplar aquele plasma, fitei com atenção as notícias do dia... E com isto, já nem se pensa em sangue. Pelo menos no nosso! Apenas se sente um pouco... na pele...
Bom mas depois de avidamente me degustar com as notícias, começou a publicidade, e... RIIIING! SETENTA E QUATRO! SETENTA E QUATRO! Ooops... era a minha vez!
Este é outro momento delicioso! Parece que estamos no Bingo! Aliás, eu quase disse "BINGO"! Mas contive-me.
Depois daquele impulso repentino de me levantar e mostrar que era EU - e mais ninguém, nos arredores - quem possuía aquela senha, abrandei o ímpeto e calmamente murmurei qualquer coisa como: "sou eu... " como se me chamasse setenta e quatro...

Tratei das papeladas todas, documentos para aqui, assinaturas para acolá, cartão de utente, enfim... Parecia o processo de compra de Habitação no balcão de um Banco... do BCP, por exemplo! Bem, aí já não sei... Poderia sempre subir no elevador e falar com o Tio. O Tio Jardim, quem mais??!
Terminado o "processo", voltei para o meu lugar à espera que me chamassem para o momento sublime das análises médicas!

Confesso que se instalou um formigueiro no estômago... Pensei que pudesse ser fome. Afinal, não tinha ainda tomado o pequeno-almoço, e com sou tipo "passarito" a comer, o jantar do dia anterior já estava muito longe, concerteza... Mas não... Não era fome, nem vontade de comer.
Comecei outra vez a imaginar a agulha a... ok! Já expliquei, não vou repetir o processo do "espeta ali", "suga o sangue" acolá... argh!!

Concentrei-me novamente na SIC Notícias.
Fiquei fascinada com as imagens que via e, em segundos, estava "presa" ao ecran.
O mar azul-turquesa, a areia com um tom dourado-escuro, as casinhas brancas nas encostas de rochedos castanho-escuro... LINDO! Era na Secília!
Entra, em contraponto, uma imagem com um pedaço enorme de carne crua, num talho! AAArghhhh! Caaaarrrneeee! Cruuuuuuaaaaa!!!! Por favor!Tenham dó! São só 08:30 da manhã de um Sábadooooo e eu vou tirar sangueeeeeeee e sou Ovo-Lacto-Vegetariana!!!!
Num ápice, muda o plano para o dono do talho. Um Italiano rechunchudo que falava da Famiglia... mais concretamente da família Corleone e do Padrinho. Factos reais, nada de filmes de Hollywood!
O que mais me chocou foi perceber pelas fotos que iam mostrando - felizmente, quase todas a preto e branco - que as provas existentes de "ajustes de contas" entre Famílias, naquela região e arredores, são bem piores do que aquelas que nos contam os filmes...

Entre sangue, bocados de carne crua, Mafia, a imagem de uma agulha a picar-me as veias... senti-me a esvair pela cadeira, com alguns suores frios e o estômago virado do avesso, como se estivesse a ver um filme de terror!
Foi quando achei que não ia aguentar e ia deitar qualquer coisa que já não existia cá para fora.
Ao longe, muito ao longe, ouvi o meu nome! Acho que me chamaram umas três vezes... Bolas! Respondi mais depressa à chamada do "setenta e quatro" do que ao meu nome! Isto não é normal...

Lá fui para o gabinete, onde a enfermeira muito sorridente me dizia os bons-dias e perguntava em qual dos braços eu preferia ser "picadinha" para "recolher a amostra"... Aquela história do "picadinha", ainda me deu mais a volta... ao estômago!!! Qualquer um servia, e enquanto lhe dizia que ia virar a cara, para não ver a agulha, pensei que esta história de fazer análises também tem a sua Máfia!

Vejamos: aqueles que às 08:03 da manhã já lá estão - SENTADOS E COM AR DE QUEM NÃO DORMIU, DE TROMBAS, A OLHAR-NOS COMO SE FOSSEM OS DONOS DO BLOCO, ESTÃO A PERCEBER??! - a história dos tubinhos cheios de sangue, minuciosamente catalogados, analisados - tal como antecede ao ajuste de contas entre famiglias - a carne - a do meu bracito, claro, e no final, ela olha-me com um sorriso "malicioso", e fala-me de "picadinha"?????! O que é isto???? Enfim, comparações, não faltam...

Pelo meio destas minhas evasões horroríficas, ouço a "Madrinha" de bata branca dizer-me para esperar e não me levantar.
Percebo que o pesadelo tinha terminado... Foi rápido! E nem senti nada, desta vez!
Até nisto, esta "Máfia" funciona bem!! Fantástico! Rápido, Indolor e Limpo!

Saí da Clínica e rumei à praia para tomar o pequeno-almoço... Olho em volta e vejo a pequena encosta pouco escarpada que envolve as praias da margem sul... Estas não se comparavam com as que vi no documentário mas... pelo menos, agora sentia-me bem melhor e... mais segura...
Ah! Maravilha... o meu sumo de laranja e o meu pão de cereais torrado... Hummmmm....
Mergulhei na nova Etapa que aí vem...
Sem Padrinhos... ;)
Ainda vou ter saudades disto...


No comments:

Stress and the City, no YouTube

Loading...

Countries & Cities Where I've Been.