Change to English or other language

Tuesday, October 12, 2010

Hanói, day 1 - O Despertar

Ouvia ao longe um barulho estranho que não reconhecia. Sentia-me num limbo, entre um acordar lento e ao mesmo tempo desorientado...
À medida que, vagarosamente, se abriam os olhos tentava perceber onde estava e durante quanto tempo tinha dormido.
Num flash imediato lembrei-me. Estava em Hanói! Na casa da Tia hippie.
Completamente perdida no Tempo (e no espaço), não sabia que horas eram.
Tentei procurar um candeeiro para me orientar, já que a pouca luz que atravessava as espessas cortinas e os estores japoneses deixavam-me totalmente às escuras. Depois de algumas apalpadelas, descobri o candeeiro junto à cama e o respectivo interruptor.

Reconheci o meu Iphy (Iphone). Bolas, estava totalmente descarregado e não existia um único relógio no quarto. Será que ninguem via as horas neste país?!... Depois, ri-me de mim mesma e deixei-me ficar debaixo do edredon macio por mais 5 minutos a pensar em tudo o que se tinha passado nas últimas horas em que estive acordada. Desde a saída de minha casa para o aeroporto, as longas horas de viagem, o transbordo, até ao aterrar e conhecer a Tia e... o quarto onde estava agora. Tudo isto, em pequenas fracções de segundo. Sorri e pensei com maior clareza: afinal fui para Hanói com bilhete de ida e outro para prosseguir até xxxxx mas sem data ainda marcada, portanto... Zazen*!

Depois, abri as cortinas e as janelas altas, para sentir o pulsar da cidade. Uauuuu... Estava mesmo em frente a um lago fantástico, cheio de árvores milenares e frondosas a contrastar com o colorido de flores lindíssimas. Que sorte, grande spot!
Durante algum tempo deixei-me absorver pela confusão da rua: carros velhos, imensas motorizadas e bicicletas eram as peças de um puzzle em movimento e muito confuso, com muitas pessoas à mistura. Fui buscar a minha Canon à mochila que ainda estava dentro do saco gigante que me tinha acompanhado na viagem. Queria começar já a apanhar momentos desta viagem, como quem corre atrás de borboletas bonitas...
Devia ser um dia qualquer, da parte da tarde - pela luz do Sol - mas isso agora não era importante... Apenas aquele momento que estava a captar para levar comigo.

Love,
Take Care.
Birdie

*Zazen: Senta-te. Descansa. Trabalha. (termo usado pelos Budistas e que nos diz para buscar a paz e a tranquilidade interior para encontrares em ti a energia que necessitas. Depois, inicia os teus afazeres.)

Sunday, October 10, 2010

Landing in Vietname

São agora 20:11 em Hanói e acabo de aterrar... 

Arrasto a minha mochila gigante que pesa mais do que eu e ainda a "sportbilly Bag" que deve ser mais funda que as minas do Chile... 
Estou arrasada e confusa com o Jetlag.

Saí da zona das bagagens e depois de falar com não sei quantos seguranças pelo longo caminho até à saída, mal tive tempo de respirar ou de fazer alguma coisa! Senti um aperto enorme de uma senhora que quase me esmagava - a mim e aos meus queridos pertences... Ah! Esta é a Tia! Olhei para a fotografia que tinha na mão. Ela reconheceu-me de imediato pelas fotos que ia vendo no Facebook e no Picasa.

Quanto a ela... era muito diferente do que constava na foto - que devia ser do ano 4 A.C.. A "Tia" era afinal uma senhora com perto de 60 anos, alta, magra, cheia de energia e força e deve ter parado nos anos 60/70... ou seja, very hippie, sem a parte chic, estão a ver?
Falava imenso - num português muito confuso - e eu não conseguia ouvir nem absorver nada do que me ia dizendo a uma velocidade de um Lamborghini de competição... em competição!

Finalmente, entrámos no Táxi e seguimos para o apartamento dela no centro da... gigantesca cidade que eu tinha visto lá de cima e que se assemelhava um concerto dos U2, mas cujo palco, luzes e vibração se espalhava por milhares de campos de futebol.

Adormeci no táxi enquanto a tia falava com o motorista em Vietnamita. Talvez tenham passados uns 30 minutos e estávamos em casa: eu, a caminho da casa de banho para vomitar, porque a condução nesta cidade é de loucos. Acalmei a tia enquanto ela me fazia chá e me mostrava o quarto. Brutal! É lindo! Uma decoração simples, não muito grande mas super cosy. Tenho um Buda, um tapete de meditação, um gongo e incenso. Wow!

A Tia pode ter parado nos anos 60/70, mas além de ter muito bom gosto... aderiu às tecnologias do século XXI, pelo pouco que a pestana ainda deixou ver. Durante os poucos dias que aqui permanecer poderei partilhar esta nova aventura. ;)

Take Care, 
Love, 

Birdie

Friday, October 08, 2010

Fui visitar a minha Tia a... Hanói!

Fui "farejar tendências", fazer um curso de Meditação Vietnamita, assistir ao Festival de Poesia de Hanói, arejar a cabeça e ver a Moda Hanói Primavera 2013!!

Se conseguir, trago uns Tahiti duche para os mais saudosistas. A Tia disse que importavam da Tailândia e que se vendem na rua... 

Volto daqui a uns dias.  Beijinhos e abraçooooos!


Take Care, 
Love.

Birdie

Wednesday, October 06, 2010

Adoro... Pablo Neruda

"Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz no trabalho, 
Quem não arrisca o certo pelo incerto atrás de um sonho, 
Quem não se permite,  
Uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos." 
Pablo Neruda

Take Care.
Love, 
Birdie 

Tuesday, October 05, 2010

The Independence Day of... the AlarmClock!

Já alguma vez... sentiram que precisavam de dormir só mais um naaaadinha para repôr as energias e ficar com melhor humor para enfrentar o dia? Sim?? E também ficam na cama sempre só mais 10 minutos, enquanto carregam no snooze 4 ou 5 vezes e desejam ter o poder de esticar o tempo?? Se sim... então não estou sozinha na guerra ao Despertador!

Se escrevesse uma frase num daqueles pacotes de açúcar da Nicola, seria certamente algo como "Um dia, torno-me Independente do despertador e vou ser Feliz! Esse dia é hoje!"
HOJE, foi o dia da grande revolta! UM DIA de SEMANA em que pude sentir-me independente do maldito despertador! Foi o Dia da Independência, celebrado com um brunch estupendo entre muitas outras coisas interessantes - muito honestamente, completamente irrelevantes para quem me lê. Podem desistir agora, se quiserem.
HOJE, senti aquele prazer exclusivo do fim-de-semana (alguns) de acordar naturalmente, com tempo para me espreguiçar, mimar, tomar um duche mais longo e tranquilo, enquanto penso a avulso no que vou preparar para o meu Brunch... 

Comecei com o primeiro ritual matinal (depois do duche). Acendi o incenso Nag Champa "Goloka" e meditei durante 20 minutos. Deslizei para dar os bons-dias - ou talvez as boas tardes - ao Bonsas (meu Bonsai) e fui tratando dele, enquanto preparava o café e colocava a frigideira no fogão... nhaaaaammmmmmm... ovos mexidos mal passados com queijo, cogumelos, fiambre de perú e finalizado com oregãos on top!... Hummmmmm..... smelt nice, tasted even better! Espremidas algumas laranjas tinho o sumo pronto e bem fresquinho, assim como o café pingado com leite e, claro... o pão de cereais torrado com mel para acompanhar os ovos!

Passei uma hora com os sentidos dividos entre o Brunch e o que iria fazer o resto do dia que estava agora a começar. Lentamente, surgiram algumas ideias e quando menos esperava, já estava com a mochila às costas com a máquina fotográfica, iphy, o livro que estou a ler, o iPod com a minha playlist actual e parti à descoberta da cidade, num feriado nacional em que quase tudo esteve fechado mas que, nem por isso o povo deixou de sair à rua para tirar partido do Sol maravilhoso que fez e - qui çá - celebrar o dia da República, participando activamente nos muitos eventos espalhados por vários cantos da cidade.
  
Junta à frente ribeirinha encontrei imensa gente a fazer jogging, biking, alguns com patins em linha ou em marcha lenta... mas não em greve! ;). Ao que parece, estamos cada vez mais a ter cuidado com a forma física, independentemente de o Verão ter terminado! Um sinal positivo de vitalidade no País! Será? ;)

Depois de disparar... algumas fotos, rumei a sul e fui ver o ambiente na praia num dia como o de hoje.
Imensa gente a passear, a apanhar Sol, talvez com alguma nostalgia e na tentativa de prolongar o final das férias e dos dias de praias.
Depois de muito caminhar junto ao mar e sentir o vento na cara - que ficou mesmo muito queimada! :( - descansei na minha esplanada já habitual... Há dependências positivas às quais chamo de rituais. E este é um deles... Por lá, sinto-me em casa e guardo bons momentos na memória dos meus três neurónios. :)

O Sol ia descendo junto à linha do horizonte e disparei as últimas fotos... pisquei-lhe o olho e disse-lhe adeus... 

Regressei a casa já à noitinha e depois de um duche revigorante e já no quarto olhei para o despertador e... revi o dia fantástico que vivi sem ter de acordar com ele. De facto... podemos escolher com quem estamos, o que fazemos, os locais onde vamos, a côr do cabelo e a roupa que usamos. No entanto, não podemos escolher a que horas vamos acordar todos os dias da nossa vida. E sabem que mais? Ainda bem! Porque senão... senão, este dia não teria sido tão especial!

Viva a Independência! Mas... um special thanks ao Despertador! ;)


Love,
Take Care.
Birdie

Monday, October 04, 2010

If you Can't Hunt with a Dog, Hunt With... Online Pet Dating!

Que o Online Dating é uma realidade, não é novidade.
Quer seja de uma forma organizada e by the book através de sites específicos para o efeito, quer seja através das redes sociais - que têm servido de mote a muitas traições e divórcios, mas também encontro e reencontro de almas gémeas - o online dating e os programas de speed dating vieram para ficar em Sociedades onde cada vez mais habita o paradoxo de vivermos na era da Aldeia Global mas em simultâneo sentirmos que estamos cada vez mais sós tendo como desculpas a tradicional falta de "tempo", falta de vontade/inércia ou até nem saber como fazer para encontrar novas pessoas - amigos ou um/a companheiro/a.

Confesso que fiquei surpreendida quando, ao pesquisar uns artigos para umas aulas que estou a preparar, me deparo com um link lateral sobre Online Dating. Mas não apenas "mais um site" de Online Dating. Eu que achava que já tinha visto quase tudo, não pude deixar de dar umas gargalhadas quando cliquei no link e segui até ao dito site!

Se tem um Cão, um Gato, um Hamster ou até um Cavalo - acho que se esqueceram dos Coelhos! - então, já não tem desculpa para não travar novos conhecimentos e, quem sabe, encontrar a sua Animal... ooops... Alma Gémea!
Sim, é verdade e eu confirmei: são sites de PetDating que juntam o útil ao agradável: procurar um parceiro para o animal de estimação - qui çá - para procriar com uma raça pura e, ao mesmo tempo, conseguir também o melhor match dos respectivos donos!
Confesso que, por instantes, a minha mente sórdida pensou que se tratava de um Pet Dating... literalmente!!!! Aaargh!!
Mas depois percebi que era algo mais... aceitável e fiquei mais tranquila. Mas não pude deixar de imaginar algumas situações constrangedoras e a temer! Senão vejamos...

 - Se o meu Cão não gosta do Teu, a nossa Relação tem Futuro?
Ora, aqui pode existir à partida um grande entrave. Imaginem que os donos até sentem que a relação deles tem futuro, mas os respectivos cães odeiam-se e são incompatíveis... O que fazer?!

 - Os nossos Gatos tornaram-se inseparáveis mas eu não te suporto!
É preciso pensar até onde está disposto/a a ir pelo seu animal de estimação para que não se torne em animal de "odiação"! Quer deixando-o partir como quem vê partir um filho quando casa ou impedindo a relação do seu bichano e optar por contratar um bom Psicólogo para o acompanhar na separação inevitável...

 - O teu Hamster quer o divórcio, mas eu quero continuar contigo!
Bom, este problema é sério. Porque das duas uma: ou o seu hamster se torna independente e volta para a rodinha dele com a sua trouxa e você fica com o dono do hamster abandonado ou regressa a casa com ele, por solidariedade. Estará você disposto/a a correr esse risco?!

 - Os nossos cavalos são felizes e já têm filhotes, mas eu não quero continuar contigo!
Esta, pode ser uma situação dolorosa... Você está prestes a tornar-se "avô/avó" dos seus pets mas também está prestes a perder o seu parceiro. Com quem fica o casal de cavalos? E os filhotes??
Caso fiquem com o seu parceiro - porque a quinta dele é maior que a sua e sabe que oferece melhores condições para que os mais novos cresçam felizes e contentes - poderá você visitar o seu bichinho e os respectivos descendentes??...

Bom, eu não tenho nenhum animal de estimação a viver comigo, no meu apartamento. Mas para aderir a um destes sites era capaz de adoptar ou comprar um. Adoro cães! De paixão! Mas não tenho espaço para ter o meu cão mais que tudo a viver comigo - Labrador ou um Golden Retrievier castanho dourado. É pena... Gatos, nem pensar! Não gosto muito... demasiado independentes e para este tipo de dating dependeria muito da sua mood. Nunca iria saber se seria um bom dia ou não para sair porque estão sempre na deles... 
Passáros, fazem demasiado barulho por nada. Lamento. Prefiro-os fora de gaiolas, bem como os Hamsters. Além de que acho um pouco... estranho... ficar ali a observar um rato a correr numa roda ou a um canto a roer qq coisa, invarialvemente. 
Já tive peixes... mas acho que não seriam muito recomedáveis para um Dating. Metem muita água e podem ter má influência... Além de que morreram depressa, são pouco resistentes e ainda me iriam pedir alguma indemnização por algum ataque cardíaco, caso o peixe do meu parceiro de dating se apaixonasse à primeira-vista pelo meu!
Também acho que as tartaturgas não devem ser aconselháveis para este tipo de encontros... São demasiado lentas a andar. E imagine que você se fartava rapidamente do seu parceiro/a de encontro! Demoraria HORAS para se livrar dele/a!!

Se quiser ver para crer, experimentar e testar, deixo uma lista de alguns dos sites que encontrei:
Datemypet.com - Date Me, Date my Pet 
Petpeoplemeet.com
Leashesandlovers.com 
Catloversdating.com 
Hamsterer.com 
Equestriancupid.com 

Divirta-se e quem sabe não encontra o que procura.
Eu vou voltar para as minhas aulas... depois de ter negado sair com amigos verdadeiros e já conhecidos de há alguns anitos. ;) Nada como à moda antiga... the Old Fashion Way. With or Without Pets. ;)

Love, 
Take Care.
Birdie


Saturday, October 02, 2010

Hoje é "a" Noite U2

Hoje... é a noite mágica na cidade de Coimbra, onde Almas, Corpos e muita energia vai vibrar ao rubro com eles... a Banda de Bono: os U2.
Today, no more words... only... One! 'cause... sometimes you can't make it on your own...



Friday, October 01, 2010

The Number Ones of my Self

Mais um dia, mais um artigo.
Falta tempo para o fazer com mais rigor e cuidado - porque adoro palavras e é importante cuidar e fazer um bom uso destas.

Hoje... é o primeiro dia do mês de Outubro. E não podia deixar de escrever. Ideias, não faltam, mas hoje - dia 1 - o primeiro do mês e de um novo trimestre novinho a estrear - não podia ficar em branco ou ficar registado um tema banal ou, para variar, um texto virado para o meu umbigo (prometo que irão diminuir a pedido de muitos leitores - LOL -, do meu Bonsas, das teclas do meu portátil, do meu piercing - no umbigo, claro - e dos meus amigos que me conhecem bem e se queixam que assim, não têm nada de "novo" para ler).
Hoje, apesar de não ser mais um artigo de "umbigo"* - mas que não anda ainda muito longe... - é especialmente dedicado aos números Uns's da minha Vida.

[DICA: vão buscar os Kleenexs. - Adoro os de Menta!]

Todos nós temos lugares, pessoas, músicas, filmes, livros, momentos, viagens e uma infinidade de coisas, acontecimentos, atitudes, gestos e palavras que nos marcaram para sempre, que contribuiram em muito para quem somos hoje e em quem nos vamos tornando ao longo desta "Viagem".
Logo pela manhã senti uma inexplicável vontade de agradecer a todos os que mais me têm marcado ao longo do meu percurso - e me continuam a inspirar. Só depois, achei que faria até muito sentido escrever tudo o que tinha vontade de lhes dizer, hoje, já que são os meus "números uns de Vida", coincidindo com o facto de ser dia 1 do 10 (tirando o zero fica 1) e o dia 1 do último trimestre de 2010. Talvez seja uma coincidência... ou não, mas geralmente sigo o que o meu coração dita e - porque não corro muitos riscos - aqui estou eu para vos dedicar - em particular e com muito carinho - as próximas palavras.

Aos meus Pais...
Por todo o carinho, afectos, amor, dedicação, compreensão e apoio nos piores momentos, pela coragem para melhores dias, pelos abraços e apreço nas vitórias, pelos sábios e honrados valores transmitidos, pela partilha dos problemas e das dificuldades, pelo empreendedorismo, pela garra e pela forma como me mostraram como se luta na Vida a partir do nada, pelos risos, pelas lágrimas, pelas palmadinhas nas costas, as palmadas no rabiosque e repreensões agrestes, pela vida maravilhosa que me proporcionaram - viagens, livros, muitos sonhos, conforto, segurança, educação - e por tudo o que não me proporcionaram por pura inocência e desconhecimento, ensinado-me - sem o saber - que a Perfeição não existe, mesmo quando nos esforçamos ao máximo e focamos a nossa existência - quase que exclusivamente - no que é mais importante que tudo e todos na Vida.

À avó Olinda e ao avô Delfim, aos primos Paulo e Carla (adoro-vos, casal modelo), Pedro e André, à tia Ana e tio Ivo, tio Tomané e tia Idalina, à tia-avó Angêla (ausente, mas aqui dentro), aos tios-avós Serafim e Julieta (ausentes, mas lembrados), à D. Teresa, ao Bruno, Alice e Aníbal, à professora Maria Amélia...
Pela vosso acompanhamento ao longo da minha infância e adolescência. Por terem estado sempre tão presentes, pelos dias/anos de brincadeiras, zangas de primos/irmãos, pelos desafios, pelos amigos partilhados, pelas horas incansáveis e sacríficio para ver os meus vídeos intermináveis das viagens, pela vinda às minhas festas de aniversário, pelo carinho nas doenças, pelo interesse na escola, pela força em 8 anos nas aulas de orgão e solfeijo, pelos passeios de Jeep na costa alentejana, pelas trocas de músicas em cassetes de audio, pelas horas de conversa e partilha, pelas primeiras saídas à noite - com o Bruno e primos - pelas padarias com bolos e pão quente às 4:30 da manhã, pelos jantares, pelos livros, revistas, por me deixarem jogar horas a fio aquele jogo no Spectrum - Pijamarama - no qual era viciada, pelas primeiras dicas sobre o Windows numa época em que eu jurava a pés juntos que JAMAIS trabalharia com computadores... Ironias da Vida, não? :)
Pelos livros do Tio Patinhas, do Peninha, da Turma da Mónica, do Astérix e dos milhares de colecções de BD que me ias mostrando, Pedro, que só encontravas na loja ainda desconhecida algures no Chiado - BDMania. Pela companhia a ver desenhos animados: o Dr. Faísca, o Tom & Jerry, Tom Sawer, no País dos Rodinhas, os Barba-Papa, e muitos outros... Pela partilha - e pilhagem, também! - das bombocas, dos chocolates, das sandes com o "Coma com Pão", das guerras com garfos e facas atirados como se fossem lanças e que tanto estragaram as portas da casa dos avôs. Em especial ao Paulo, por nos deixares vestir-te com os meus bikinis para fazer anúncios do Taihti duche e os videoclips marados, sempre com a loucura fantástica do Tio Tomané. E lembram-se do "espectacular", de Viseu?? :))) O primo Jorge, a quem eu uma vez dei um estalo enorme no meio da praia depois de ele me ter coberto de areia?... Dias fantásticos.
Também um carinho muito grande ao Tio Tomané, que em muitas tardes de férias me chamava para o acompanhar à guitarra: ele tocava e eu cantava. :) E a ti, Paulo, mais uma vez, companheiro das minhas loucuras - e vítima, muitas vezes! - quando nos esgueirávamos tardes inteiras para uma das janelas que dava para as traseiras da casa dos avós para cantarmos à desgarrada a tarde inteira até acordar todos os vizinhos que poderiam estar a fazer a sesta! :))) E desculpa pelas vezes em que eu fingia sempre que me sentia mal, cada vez que ficávamos sozinhos em casa, e tu - muito aflito - não sabias o que fazer e ficavas meio em pânico. :)) Era a minha veia de actriz, desculpa. :))
Também pelos dias únicos e longos de praia, em que jogávamos Vólei até cairmos na água e continuarmos o jogo lá dentro! Brutal, partia todas as minhas unhas, mas era do melhor! E as "boleias" nas ondas? Era o nosso Body-board sem prancha, não? :))
Todos, mas todos vocês são muito, muito especiais na minha Vida. E têm sido muitos dos meus pilares de crescimento como pessoa e que muito contribuiram para quem sou hoje...

À tia Augusta, aos primos Manuel Carlos e Dulce,Jopê e Leonor e também às tias Adelaide, Adélia e ao tio João (ausente, mas sempre comigo), aos primos João, mas em especial ao primo Zé e prima Júlia (gosto muito dos dois)...
Pelos dias de praia, na Fonte da Telha, pelas saídas, pelos dias de mergulho e passeios de barco, pelas férias anos a fio em Isla Antilla, pelos amigos apresentados, pelas histórias, pelos debates, pelos almoços de família na cada da tia Augusta, em janeiro, com as maravilhosas vagens... Pelas viagens em conjunto, pelas conversas e interesse no meu percurso, pelas dicas em momentos decisivos... por tanto e por muito mais... são todos referências importantes na minha vida, na forma como cresci, como evoluí, pelos exemplos de atitudes e duelos com momentos difíceis na vida.

Não vou fazer referência aos amigos e alguns conhecidos que marcaram o meu percurso pessoal e profissional, porque são muitos que, talvez nem sonhem que fazem parte de mim, mas que são verdadeiros exemplos de vida, que estiverem comigo nos piores momentos e nem tanto nos melhores, por minha culpa. Desculpem as minhas ausências prolongadas, pelos meus altos e baixos, pelas minhas "fugas" - não de vocês, mas de mim...
Gosto muito de todos vós, são pessoas muito, mas muito especiais e por mais distantes que possamos estar, guardo-vos eternamente comigo...

E por último... há uma pessoa que foi e será sempre muito, mas muito especial. Uma referência que foi/tem sido, de uma importância fulcral... o pilar estruturante que vai muito além de Pais, família chegada, amigos, companheiro... Simplesmente porque tem desempenhado quase todos estes papéis. O Henrique. Um Professor que se tornou num grande amigo. A pessoa que mais me marcou na Vida.. por tudo e por tanto...
Pelos livros, pelas conversas, por me escutar em silêncio até eu quase perder a voz angustiada, por ter sempre uma palavra inspiradora que me levava a novos caminhos e a descobertas demasiado importantes para perder na Vida. Pelos abraços, pela partilha dos risos e das muitas lágrimas... Será que te posso chamar de meu "Gurú" Ocidental?... :)
Já te disse tudo isto nos olhos porque senti que era importante que soubesses tudo o que significas para mim, tanto quanto consegui traduzir em palavras, porque... a ti, Henrique, devo quase tudo o que sou hoje, o que sei, o que descobri, o que vivi. Abriste a minha janela para o Mundo, deste-me a mão e ensinaste-me a andar... e também me ajudaste sempre que caía... e se tive quedas aparatosas... Mas tu, estiveste, estás e estarás SEMPRE presente. Sempre.
Obrigada...


Love,
Take Care.
Birdie


Stress and the City, no YouTube

Loading...

Countries & Cities Where I've Been.