Change to English or other language

Saturday, August 16, 2008

Odeceixe, a Pequena Vila do Swd. Alentejano...

A Prequiça já se instalou...
Que bom!
Levantei-me a custo às 8:30.
A única coisa em que pensei foi:
- tenho um dia inteirinho pela frente, só para mim...

Levantei, sentei-me na cama, estiquei toda a minha coluna vertebral dando as mãos, e elevando os braços em direcção ao céu.
Estiquei tuuuudo... respirei bem fundo, expirei e... num pulinho dirigi-me à porta da varanda para abrir os estores.

O Sol entrou para me iluminar e desejar um Bom Dia, com um sorriso largo! Esgueirei-me para a varanda. Fiz novamente um alongamento para acordar os músculos, os tendões, todo o meu corpo de uma ponta à outra.
O céu azul piscou-me o olho e desafiou-me para a praia.
Na rua estreita da Vila - a Rua do Correio - para onde dá a acolhedora varanda do meu quarto, ouvia-se silêncio, apenas interrompido apenas pelo chilrear dos pássaros.
Fechei os olhos e respirei fundo, sentindo a leve brisa que me acariciava o rosto, num gesto carinhoso de boas-vindas.

Depois de um duche fresco e revigorante, e Bikini vestido, constatei como estava "BRANQUELA"!! Venha o protector solar factor de protecção 25, e 30 para a cara. É o primeiro ano que uso protectores solares. Acho que o efeito inconsciente dos "trinta" no corpito, despertaram-me a atenção para determinados cuidados...
Corpo e Rosto bem protegidos, olho para o telemóvel que marca as 9:05. Hummmm... já comia qualquer coisinha. Mas a sala do "Pequeno"-Almoço só abre às 09:30.
Assim, agarrrei no exemplar de Julho da National Geographic e "fiz tempo", para o melhor "pequeno"-almoço do Mundo...

Curioso... "fazer tempo", como se fosse possível "tricotar" ou "produzir" com alguma fórmula química, o Tempo... "Fazer tempo" sabe bem, desde que não estejamos condicionados pelo momento.
Quando na nossa vida agitada, na Cidade, "fazemos tempo", quase nunca relaxamos verdadeiramente, porque geralmente este Gap temporal é-nos imposto, pelos mais variados motivos. Desta forma, "fazer tempo", revela-se quase sempre uma "perda de tempo", porque apenas pensamos nas obrigações que temos programadas ao longo do dia.
Constato que a diferença entre o "fazer tempo" e o "perder tempo", vem do nosso mais profundo interior. E também considero que é um grande desafio alterar o sentimento de inutilidade que apenas nos desgasta, em vez de optar por proveitar mais e melhor aqueles momentos precisoso que temos connosco próprios, e que nos escapam ao longo da Vida.

Ooops! ouço passos nas escadas...
09:20! Vamos embora!
Que fome!!! ;)
Fecho a porta, e penduro a chave do quarto 31 na fita de pescoço vermelha.
Desço até à saída, e entro na Sala dos Cheiros e Sabores, como carinhosamente lhe chamo.
Na Residencial do Parque, a humildade e a simpatia extravazam de imediato.
Estes, são os aspectos que se denotam mais da personalidade do Sr. Cláudio, o ilustre dono do dito albergue da vila.
O "pequeno-almoço" é um exemplo de humildade. Na realidade, a primeira refeição da manhã, servida até às 13:00, é composto por todas as iguarias regionais è disposição de todos os hóspedes.

Para quem come muito pela manhã ou para quem é suficiente uma refeição mais leve, como é o meu caso as tentações são muitas, e temos todo o tempo do Mundo para degustar cada uma destas!
Ao estilo "Faça Você Mesmo" o conceito do "Marketing Personalizado Caseiro" funciona realmente muito bem. Começamos por escolher uma mesa para nos sentar. Depois, partir em busca dos cheiros suculentos que já invadem a ampla sala de refeições. O verdadeiro pão alentejano cozido no forno de lenha, ainda quente e estaladiço, barrado com a manteiga da região, o leite quente ou frio, simples ou "abronzeado" com café fresco e suave, iogurtes vários, diversas opções de cereais, muita fruta, fiambre e queijos caseiros, e até Mel de côr clara e melado que vagarosamente vai descendo dos favos até à travessa de barro de onde, com uma colher de pau, se retira a quantidade desejada para uma taça... Suave e cremoso, como se quer.
E ainda, para iniciar a primeira refeição do dia, há vários caixotes cheios de laranjas pquenas, de casca muito fina, mas cheias de sumo. Liga-se a máquina industrial de sumos no balcão, e colocam-se as laranjas de uma fiada, inteiras, deixando o resto por conta das rodas que giram e transformam em segundos, 3 laranjas num grande copo de sumo fresco, com muita côr e cheio de sabor...
De "pequeno", este Pequeno-Almoço não tem nada! Só termina quando se sente o estomâgo forrado e preparado para um dia de praia em grande, em que o tempo espera por nós.
Antes, ainda ouvimos o alerta do Sr. Cláudio, que nos "obriga" a fazer um farnel de sandes e fruta, para nos travar a fraqueza, depois de meia dúzia de mergulhos no mar!
Não é fantástico? O problema é o pouco espaço que sobra na mochila! ;)

Depois de uma última e rápida subida ao quarto, agarro na mochila, coloco o lenço árabe na cabeça e os óculos de Sol, agarro na bicicleta e parto, em busca de um lugar ao Sol...
Tenho à minha espera o Mar, o Sol e ainda a Areia branca e macia da Praia de Odeceixe...

Continua em...

Galeria de Fotos em...



No comments:

Stress and the City, no YouTube

Loading...

Countries & Cities Where I've Been.