Change to English or other language

Wednesday, September 13, 2006

Há Verde no Chiado...



É verdade!
Verde no Chiado...

Hoje, quando saí da Revista e desci a rua que vai do Largo até perto da Bénard, já não havia Sol. Os dias estão mais curtos.

E hoje, além de curto, foi também um dia Cinzento, como há muito não se via.

Senti o cheiro das primeiras gotas de chuva, que caia assertiva e fina sobre o alcatrão quente da Cidade.

Já tinha saudades deste cheiro... É das melhores coisas que se pode sentir nesta Vida.
Guardarei para sempre nos meus "registos sensoriais" este aroma, entre muitos outros items de uma Colecção de Vida. Da minha Vida.

Olhei para as montras e já se vêm... outras colecções. As de Outono e Inverno. Roupas escuras, tons quentes, e tecidos grossos com cair pesado e Invernoso.
Com este final de dia, e já com um casaco de malha vestido, senti vontade de fazer umas compras, mas... desisti. I was not really in the mood for Shopping... Preferi continuar o meu caminho com o iPod e simplesmente contemplar... sentir esta mudança de tempo, este "Gap Atmosférico" que altera até o nosso modo de Vida.

No fundo, é uma espécie de... Adolescência Atmosférica, não?...

Constatei que na próxima semana, mais concretamente no Sábado, dia 23 às 04:03 "sharp", entramos no Equinócio de Outono.
É assim, o Tempo... imparável, incontornável, fugidío.

O final de uma estação e o começo de outra.
É o recomeço das rotinas de "formiguinha", mas se possível, acompanhadas dos prazeres das alegres "Cigarras"...

Para mim, é o recomeço de tudo.
Recomeçar no Outono. No cair da folha, do cheiro a terra quente molhada, do vento fresco e irrequieto que nos acaricia o cabelo e o despenteia alegremente, como se nos estivesse a provocar.
Recomeço no Chiado. Na rua onde um dia Nasci, onde muito aprendi, e onde sou feliz, porque é um lugar mágico, único e imperdível.

Gosto dos recomeços, gosto das "Adolescências Atmosférias"... Porque são as que transformam, revolucionam, e nos levam a novas fases, novos modos de Vida... umas vezes com Sol e Calor... outras vezes com Chuva e Frio.
Na "Adolescência Atmosférica" há sempre Esperança. Esperança no que de novo vem aí. Esperança nos novos caminhos com que nos deparamos. Esperança em nós e nos outros.
Sabemos que as folhas tinham de cair para voltar a nascer, e por isso, a Esperança nunca morre. É eternamente Verde. Verde, como a alma do Chiado. Verde como a relva que cresce com as chuvas. Verde como as águas translúcidas do Mar. E fresca, como a brisa que vai... volta... e nos faz rodopiar.

Fecho os olhos, respiro fundo, e rumo em direcção ao Rio...

3 comments:

manel said...

Dançar no Chiado é como 'dançar no Mundo'! Da plateia, aplaudo-te no teu Palco Verde. Continua voando escrevendo coisa bonitas como estas!

p.s.: agora percebo porque não tens tempo para um 'cofee breake' (ou 'jasmin tea break'), com tanto blog ;)

CÁ FICO said...

" o botão desaparece no desabrochar da flor..."

e as penas caem na Birdie que se renova...

eh!eh!

tintin said...

Gostei da prosa poética. Reconheço que o verde da Natureza é belo. Para não ficar desiludido só espero que não sejas do sporting.

Stress and the City, no YouTube

Loading...

Countries & Cities Where I've Been.