Change to English or other language

Monday, December 31, 2007

Se... (If...)

I wish to all of my friends a Very Happy New YEEEAAAAAAARRR!!!!
Hugs & Kisses from Yasmin!

Se consegues manter a calma quando à tua volta
Todos a perdem e te culpam por isso,
Se consegues manter a confiança em ti próprio quando todos duvidam de ti,
Mas fores capaz de aceitar também as suas dúvidas;
Se consegues esperar sem te cansares com a espera,
Ou, sendo caluniado, não devolveres as calúnias;
Ou, sendo odiado, não cederes ao ódio,
E, mesmo assim, não pareceres paternalista nem presunçoso:

Se consegues sonhar – e não ficares dependente dos teus sonhos;
Se consegues pensar – e não transformares os teus pensamentos nas tuas certezas;
Se consegues defrontar-te com o Triunfo e a Derrota
E tratar do mesmo modo esses dois impostores;
Se consegues suportar ouvir a verdade do que disseste,
Transformada, por gente desonesta, em armadilha para enganar os tolos,
Ou ver destruídas as coisas por que lutaste toda a vida,
E, mantendo-te fiel a ti próprio, reconstruí-las com ferramentas já gastas:

Se és capaz de arriscar tudo o que conseguiste
Numa única jogada de cara ou coroa,
E, perdendo, recomeçar tudo do princípio,
Sem lamentar o que perdeste;
Se consegues obrigar o teu coração e os teus nervos
A ter força para aguentar mesmo quando já estão exaustos,
E continuares, quando em ti nada mais resta
Que a Vontade que lhes diz: “ Resistam!”

Se consegues falar a multidões sem te corromperes,
Ou conviveres com reis sem perder a naturalidade,
Se consegues nunca te sentir ofendido
Seja por inimigos, seja por amigos queridos;
Se todos podem contar contigo, mas sem que os substituas;
Se consegues preencher cada implacável minuto
Com sessenta segundos que valham a pena ser vividos,
É tua a Terra e tudo o que nela existe,
E – o que é ainda mais – então, meu filho,
Serás um Homem.

Rudyard Kipling

Friday, December 28, 2007

O Reencontro

Contemplava mais um avião que se fazia à pista, sob um Sol ainda ensonado e friorento que timidamente começava a despertar a manhã...

Sentei-me num dos bancos virados para a pista onde aguardava a chamada para o embarque.
Não queria ver outras caras... Ainda sentia o abraço apertado e intensamente longo com que a minha mãe se tinha despedido de mim há menos de dez minutos. Sei que chorou depois de eu ter passado as portas para a área de embarque.
O abraço forte e muito carinhoso do meu Pai, repetia-se na minha mente, tal como as suas últimas palavras embargadas ao dizer-me para telefonar a qualquer hora, se precisasse de alguma coisa.

Fechei os olhos para guardar na alma, o melhor possível, aqueles útilmos instantes antes da partida. Sucederam-se imagens que projectavam na perfeição instantes em família, com amigos, sózinha... um filme que navegava pelo espólio das emoções arquivadas que, como por magia, surgem para nos fazer crêr que não somos "casa vazia e abandonada"...

Deixava tudo para trás, em busca de um recomeço a partir do zero.

Se por um lado me invadia a angústia da distância a que ia ficar do "Meu Mundo", por outro lado, uma energia muito forte me iluminava com sensações de Descoberta, de uma nova Era... uma nova etapa que vai passar a fazer parte do "Meu Mundo".
Assim, descobria aos poucos de que não ia deixar o "Meu Mundo", mas que este é o resultado da interacção com tudo o que me rodeia, com a(s) realidade(s) que num dado momento constituiem os cenários e as personagens que vão construindo este Meu Mundo... E sendo assim, sou eu que projecto o "filme" de acordo com as tais realidades, e que não sou eu que dependo dele, mas o contrário.

Enquanto tiver a capacidade de me ligar a esse Mundo para introduzir novos "takes", com novas "personagens" e "acções", jamais me sentirei sozinha e distante de Tudo o que faz parte de mim. Para isso, serve o magnífico Arquivo de Emoções...


Uma voz feminina que ecoava pela longa sala de embarque, despertou-me.
Abri os olhos e senti que o Sol também já estava mais acordado e luminoso...
Era altura de partir!
- "The Game is a Foot!" - ouvia numa conversa de circunstância entre dois ingleses que se juntavam à fila.
Sorri e pensei que, de facto,... ouvira aquela frase no momento certo. Era verdade. The Game, is a Foot! It's time to ReStart!

Segui em frente, sem olhar para trás, sorri para a hospedeira que me pedia o "Boarding Ticket" e desejava um bom vôo, e agradeci.
Agradeci, por tudo... em silêncio. Agradeci ao Universo, pela Redescoberta do Meu Mundo, que levarei sempre comigo.

A Viagem recomeça aqui!

Nobody Knows You When You're Down And Out

Well once I lived the life of a millionaire
Spending my money, I didn't care
Takin' my friends out for a mighty good time
Buyin' boot leg liquor, champagne and wine
Then I began to fall so low
Couldn't find me no friends
Had no place to go
If I ever get my hands on a dollar again
I'm gonna hold on to it, till the eagle grins

I said nobody knows you
When you're down and out
In your pocket, you ain't got one penny
And your friends, you didn't have any
Just as soon as you get up on your feet again
Here they all come, they say that they're your long-lost friend
Oh lord without a doubt
Nobody wants you
Nobody needs you
Nobody wants you
When you're down and out

I say

Nobody wants you
Nobody needs you
Nobody wants you when you're down and out


(Patty Smith)

Saturday, December 22, 2007

Eu Tive um Sonho Sonhei a Paz

Era um sonho branco
branco como a Paz
Era um sonho d´ouro
d´ouro como a luz.
Era um sonho imenso
que envolvia todos os espaços.
Era um sonho vivo
feito de mãos dadas e de abraços.

E li no meu sonho
A palavra Esperança
Ouvi no meu sonho
Risos de Criança.
E era a Verdade
A única lei da nossa voz;
E era a Amizade
A regra de vida entre nós.

E os que acreditaram
Quando eram meninos
No poder das fadas
Traçando os destinos,
Sabem que este sonho
Não está nas varinhas de condão
Sabem que este sonho
Começa no nosso coração.

Friday, December 07, 2007

A New beginning... Learning the Blues.

Sometimes life bring us surprisingly things...
Tonight, I just want to celebrate... along with the Blues.


The tables are empty - the dance floor's deserted
You play the same love song - it's the tenth time you've heard it
That's the beginning - just one of the clues
You've had your first lesson - in learnin' the blues

The cigarettes you light - one after another
Won't help you forget him - and the way that you love him
You're only burning - a torch you can't lose
But you're on the right track - for learnin' the blues

When you're at home alone, the blues will taunt you - constantly
When you're out in a crowd, the blues will haunt your memory

The nights when you don't sleep - the whole night you're crying
You just can't forget him - soon you even stop trying
You'll walk the floor - and wear out your shoes
When you feel your heart break - you're learnin' the blues


Stress and the City, no YouTube

Loading...

Countries & Cities Where I've Been.